sexta-feira, dezembro 01, 2006

ANTIDEPRESSIVOS

Nas últimas décadas as doenças mentais têm aumentado de forma assustadora, a ponto da maioria dos médicos concordar que o século XXI será o século dos transtornos da mente.
A explicação para o consumo de antidepressivos - crescente entre nós - não está na cabeça alheia; está na cultura reinante.
Décadas e décadas de conforto civilizacional geraram a crença, obviamente errada, de que o infortúnio não faz parte da condição humana. Pior: o infortúnio é uma anormalidade da condição humana, que deve ser reprimido e até negado. Como uma doença que chega sem aviso e envergonha sem razão. Controlamos tudo: destino, carreira, negócios. E vamos imediatamente ao tapete quando a contingência, que no essencial define o que somos e não somos, se abate sobre as nossas vidas impreparadas. Quando nos confrontamos com a morte, a doença, o amor e a ausência de amor. Tirando casos clínicos que não jogam neste campeonato, os antidepressivos só existem e persistem porque existe e persiste uma triste ideia entre nós: a ideia de que o infortúnio não faz parte da vida comum.
Divirta-se, liberte essa ansiedade, não ande deprimido. Aproveite este fim-de-semana prolongado e dê umas voltas pelo Luso / Buçaco. À noite vá beber umas minis nas Tisanas, no Salta ou em qualquer outro bar do Luso. Veja se encontra por lá o TONEL que é uma pessoa que anda sempre bem-disposta.
Goze a vida!

1 comentário:

future-believer disse...

Intelectual
Podes ter razão que devemos ser positivos, mas curar uma depressão não uma coisa tão fácil como tu queres aparentar.
Não é assim tão simples, porque assim bastava a pessoa dizer, não estou triste e ficava logo alegre.
Digo isto, porque deve-se dar a importância necessária ao problema.
Se a pessoa, por algum motivo entrar em depressão será recomendável que vá a um médico, a fim de que este lhe receite anti depressivos, a fim de recuperar mais rapidamente.
Isto porque se não o fizer, será muito mais demorado a cura, e poderá deixar marcas que a pessoa poderá reincidir na doença com frequência.
Se vocês tiverem uma gripe, vão cura-la, concerteza, para não apanharem a tuberculose.
O mesmo se aplica à depressão.
E porque há a depressão?
Porque há uma hormona no cérebro, a serotonina que regula o estado de humor, e que na falta dela a pessoa independente da sua vontade vai ficar triste.
Logo esses remédios vão ajudar na produção dessa hormona.
Por isso não basta beber apenas umas minis…