terça-feira, janeiro 23, 2007

DESPENALIZAÇÃO IVG


Em Portugal, 80% das mulheres em idade fértil já recebem planeamento familiar. Alguém conhece algum método contraceptivo que seja infalível? É lógico que os nossos governantes se preocupam com o aumento da natalidade, mas é preciso haver condições económicas e sociais que sejam o garante do seu desenvolvimento. Porque é que uma mulher tem de ser penalizada se, por acaso, falhar o método de contracepção, e ela decidir fazer a interrupção voluntária da gravidez? E, se assim o decidir, porque é que não o há-de fazer em condições de segurança, evitando recorrer à clandestinidade, por vezes em miseráveis condições, o que pode redundar em lesões gravíssimas ou até na sua morte?
Em termos científicos alguém poderá explicar qual é o momento do início da vida? Por acaso sabem que os abortos clandestinos realizados anualmente em Portugal são na ordem dos 200.000? Vamos continuar a alimentar as redes do aborto clandestino?
Não será injusto uma mulher de fracos recursos económicos não poder deslocar-se ao estrangeiro onde pode fazer uma intervenção em segurança? Já viram a humilhação pública e a devassa da vida privada porque passa uma mulher que, ao efectuar um aborto clandestino, poderá ser punida com a pena de prisão até três anos?
O que está em causa neste referendo é a alteração de uma lei que irá despenalizar a interrepução voluntária da gravidez nas primeiras dez semanas.
A mulher tem o direito de livremente interromper a gravidez e de ser devidamente acompanhada na sua escolha consciente.
EU VOTO SIM !

2 comentários:

UM PINGO DE AMOR disse...

Eu vou votar, não vou ficar em casa. Contra a hipocrisia da igreja eu voto

SIM

peace_love disse...

eu também votava...se já fosse recenseada..