domingo, dezembro 24, 2006

Adeus


Digo-te Adeus
É a minha triste sina ou vertigem
Guardarei sempre a tua imagem
E o búzio de obsidiana e ouro
Que o mar me trouxe com choro
Ouvindo o lamento de um náufrago
Que a maré levou à praia
De repente tudo desaparece
O meu coração arrefece
Porém, não chora mais
E apagam-se na lama
Os últimos sinais
E uma longínqua harpa
Toca baixinho
Na claridade
Que saudade...

1 comentário:

Freyja disse...

si amas a esa musa lucha por ella

FELIZ NAVIDAD Y FELIZ 2007

Solo una vez al año todos proclaman que Jesús nació
Pero tu Señor, naces a cada instante en el misterio y en el silencio de la vida



Con mucho cariño, Freyja