terça-feira, dezembro 05, 2006

Noite ao Luar

A noite surgiu com seu luar
E trouxe coisas dolorosas
O vento sempre a soprar
Deixou-me apenas duas rosas

Flores belas com encanto
Levem tudo o que entristece
Afastem também este pranto
Porque o meu ser tudo merece

Pela noite o coração vagueia
Passa as planícies e os montes
À procura do que mais anseia

E é mesmo ao anoitecer
Que eu bebo dessas fontes
E ouço o que tens para dizer

1 comentário:

Zeca Paleca disse...

Gosto desta poesia. Faz-me lembrar a Floribella Espanca.