quinta-feira, janeiro 04, 2007

O TIC TIC





Em 25 de Abril de 1974 deu-se a Revolução de Abril. Os cravos floriram e as esperanças dos portugueses renasceram. No ano em que se comemorou os 30 anos do poder autárquico, chegámos à conclusão que nem todos ficaram inteiramente satisfeitos, apesar de outros afirmarem que valeu a pena. Tudo vale a pena quando a alma não é pequena...

Com a democracia chegou-nos também a música PIMBA, tendo sido eleito seu REI o famoso EMANUEL, transmontano dos quatro costados, nascido em COVAS DO OURO.

Este "grande" senhor da canção popularizou as famosas canções: PIMBA - Ó SENHOR GUARDA e o... TIC TIC.

E eis que, agora, passados tantos anos, o TIC TIC volta à ribalta com os tiques anti-democráticos, porque, estranhamente, continuam a existir algumas situações nas quais o exercício da dita democracia não é efectivo. E estas situações apresentam testemunhos democráticos onde os sentimentos de culpa não são meramente uma preocupação acerca do passado; são, na verdade, uma paralisação actual devido a um acontecimento passado. Impera assim o slogan do «NÃO É JUSTO» que é um dos lamentos mais comuns - e destrutivos - feito por uma pessoa relativamente a outras. Na verdade quem anda a verear com restringência sofre de modorra e, quando acorda, lembra-se de tudo isto, liga o rádio e ouve o EMANUEL:

TIC TIC TIC, TIC TIC TIC

ISTO É UMA A MAIS

P´RA MINHA VINDIMA

TIC TIC TIC, TIC TIC TIC

ELA (ou ELE) PÕE À RODA

A MINHA POBRE CABECINHA

MÚSICA MAESTRO!

1 comentário:

Joaninha disse...

Anda para aí muito político ao desbarato que sofre muito do TIC TIC. Lá isso é verdade.