segunda-feira, abril 23, 2007

O BURRO
Vai ele a trote, pelo chão da serra,
Com a vista espantada e penetrante,
E ninguém nota em seu marchar volante,
A estupidez que este animal encerra.

Muitas vezes, manhoso, ele se emperra,
Sem dar uma passada para diante,
Outras vezes, pinota, revoltante,
E sacode o seu dono sobre a terra.

Mas contudo! Este bruto sem noção,
Que é capaz de fazer uma traição,
A quem quer que lhe venha na defesa,

É mais manso e tem mais inteligência
Do que o sábio que trata de ciência
E não crê no Senhor da Natureza.

Patativa do Assaré. Um poeta típico sertanejo, que não teve acessso aos livros, não estudou. Tpda a sua obra, compreendendo vários livros e discos lançados, são feitos por pura intuição, que chamo inspiração Divina.

5 comentários:

Freyja disse...

uiii Naeno tan sabio en tu prosa, pero yo creo que cada animal que Dios creo en la naturaleza tiene buenas virtudes
a veces veo mas virtudes en los animales que en algunos humanos que solo buscan el poder sin buenas costumbres
besitos amigo y una linda semana

Nokitas disse...

Naeno
susurros y una linda semana

sombras disse...

todo lo haces versos Naeno
kiss

joaninha disse...

os burros sao animais com 1 ar tao carinhoso :)

***

Laura disse...

Naeno, eu em pequenita, uns 8 anos, ia na aldeia dos meus avós, montada num burrito toda feliz da vida, pois vivia na Cidade, e o campo era uma alegrias ans férias. Vai daio caminho começ a descer, um regato atravessava a estrada estreita, e o finório que ia sem albarda, eu apenas me segurava na crina dele, baixa a cabeça para beber, e despeja a carga em meio do regato, que depois foi descendo e arranhando as pernas todas na descida, e ele ainda se ficou a rir ehhhhhh. Que bela lembrança vc me deu.
Acredito que o poeta que fez isso, possa nem ter escola, é um Autodidacta como eu e mais nada..parabéns a ele..