quarta-feira, maio 02, 2007

EU E DEUS
Se me lembro alguma coisa pedi a Deus,
Que me deu a boca e antes de abri-la prometeu
Que quem pedir mais leva os cofos
Que se teceu.
Se me anina essa proximidade dele,
Muito mais me santifica pisar seus rastros,
E, quando só, penso estar distante dEle,
Eu me aceno, na pressa de Deus.

E o que me anima é o mesmo acima.
Autoriza o sonho, relaxa com a rima,
Deixa-me à vontade, para ser saudade.

Para ser da terra, o passo que eu escolher
Se quero viver, terei de morrer.
Se faça valer a Sua autoridade.

2 comentários:

Freyja disse...

besos poeta, escribes maravilloso

Jorge Carvalho disse...

Excelente!