sábado, maio 19, 2007

FISSURA

Estou molhada
Que nem tampa de chaleira
Pingando que nem goteira
Amor, querendo te amar
Estou com saudades
Dos beijos de tua boca
Tu me tirando a roupa
Me levando pra deitar

Estou nas pontas dos dedos,
Pelas paredes.
Meu corpo pedindo rede
Amor querendo te amar.
Estou com saudades
Dos beijos de tua boca
Tu me tirando a roupa
Me levando pra deitar.

Amar é bom
E amar a quem a gente ama é uma beleza
A gente dá amor e recebe a certeza
De que se tem o amor de quem tanto gosta.
Amar é regra
Pra ter a vida a cor de eterna primavera
E amar asssim é possível, não é quimera,
Amor a gente tem pra dar e nunca cansa.

Estou derretendo
Que nem barro sob a chuva
Eu estou que nem rapadura
No tacho pra virar doce.
Estou com saudades
Dos beijos de tua boca
Tu me tirando a roupa
Me levando pra deitar.

5 comentários:

Naeno disse...

Mas que poesiasinha safadiha.

Naeno

Menina do Rio disse...

Bem safadinha mesmo! Gostei dessa rima. Subindo nas paredes , nas pontas dos dedos...é uma mulher aranha ou lagartixa???

beijinhos

Elisa Albuquerque disse...

Muito deliciosa essa poesia.. amei demais... adoro poesia erótica! Parabéns!

Adriano Bichano disse...

Ai como eu gosto tanto de tudo isto, ai, ai.

Freyja disse...

abrazos