domingo, agosto 12, 2007

E ESTA, HEIM?


Esta senhora, brasileira, autora do livro "O PORTUGAL QUE NOS PARIU" em vinte e três dias conseguiu resumir tantos anos da nossa história com essa pérola aí que está por baixo da sua fotografia !
Nada mau...
clique na foto para vêr se ele aumenta

24 comentários:

loureira disse...

ó Senhor como eu sou retardada...

podem-se rir

eu cliquei na foto pra ver se ela aumentava!

só depois... passado um bocado de esperar ver se ela ficava grande ou não...

é que entendi.

é sempre a mesma coisa

demoro... demoro...

para entender!

Bem feita para mim... quem me manda ser burra?!

Gostei dos últimos "textos" do senhor Acácio...

São elegantes

E ainda serviram para fazer um teste à minha querida pessoinha...

Obrigada senhor Acácio Simões!

loureira disse...

voltei a trás

será que entendi?!

voltei a pensar e fiquei na dúvida

agora... é que me chamam burra!

é o que faz não ter nenhum tradutor por perto

sempre fui má para anedotas


(mas acho que entendi. olha se não entendi, paciência)

(quem me manda a mim meter-me nisto...)

bjs
lusenses

Acácio Simões disse...

amiga Loureira:
Atão na havia de entender?
Não me diga que clicou na foto e ela não aumentou?
Aumenta sim...e muito!
Cumprimentos do atónito

loureira disse...

voltei a clicar

aumentou sim senhor Acácio

desculpe

é que neste pantano neteniano

eu já vejo mal em tudo

falha minha

peço desculpa.

- mudando de assunto

só o senhor Acácio e eu aqui no Luso somos os únicos que não fazem a SESTA?! Que coisa... tudo dorme... deve ser do calor!

Enfim... O Luso está vazio... foi tudo de férias pra longe, quando nas Nossas Ricas Terras Lusenses tanto há pra descobrir e apreciar...


Bjs.
lusenses (respeitosos) para o senhor Acácio Simões
que tem sido uma agradável
companhia.


Viva o Luso!

Acácio Simões disse...

também tenho saudades do "meu" Luso no já distante ano de 1958 quando estive nas férias(férias de estudante, claro está)a trabalhar no Grande Hotel como adjunto desse grande homem que era o Ti Sarrudo.
Bons tempos...
Ainda hoje tenho aí pessoas amigas, Malaguerra, Tó Rocha e irmão, Tó Esteves, Manuel Alegre, Cabral, Abreu, enfim e muitos mais que de momento não posso precisar!

loureira disse...

caracles!!!!!!!!!!! Isso é que são memórias, senhor Acácio.

fui algumas vezes aí ao Luso. passeei nas sua bonita mata encantada. Mas, ainda passeava os livros.

é que um burro carregado de livros parece um doutor e eu queria parecer. andava sempre carregada. Fardo de que não me livro!

é muito lindo, de facto.

um dia destes, vou matar saudades.

sabe, uma coisa que tenho estado a pensar cá com os meus botões, é sobre a tal senhora, que o senhor Acácio aqui trás às Nossas Terrras Lusenses.

Eu acho que ela não conhece o Luso nem as suas águas.

Aliás, problema de muito brasileiro... Podem até conhecer portugueses (talvez) mas a sua pontinha de arrogância (deles/delas) brasileiros, nota-se no livro desta senhora.

não! Não estou a exagerar... o "destino" prega-nos muitas partidas e algumas vezes vou àquelas terras e, como verifico que não gostam de nós! Julgam-nos até, meio ignorantes, e por aí... coisa pior até...


farto-me de lhes dizer que só Indio tem direito a reclamar as suas terras, porque quanto aos restantes, esses têm a sua raiz, se calhar nas Terras do Luso, que tanto "debocham" (não sei se este termo está certo)

Continuando

Eles não gostam de nós! Disso eu tenho a certeza. Mas, verifico que dos portugueses (homens) parece que gostam. Vê-se logo porquê.

Eles trabalham muito por aquelas bandas e arrecadam uns dinheiritos que fazem muito jeito. Também sou testemunha disto.

Não creio que seja por por por aquela coisa! não!!!!! é mais porque os portugueses são muito poupaditos e esforçados e os "sacos" por vezes até de papel e as gavetas sem fundo, estão quase sempre cheias de notas! É mesmo à português quando se vê privado do seu amado LUSO! E, embora pareça que a coisa mudou....hummmmmmmm parece, mas nem tanto assim....


Acho que essa senhora (que me perdoe) não entendem bem o espirito de um Português!

- vou calar-me. confesso a minha antipatia por brasileiros. até porque os conheço.

- aqui peço perdão a algum brasileiro que por aqui, também escreva. Mas, é o que penso: Existem exepções! Estou a falar no geral.

Eles não gostam de nós e não nos dão valor e dizem que os colonizamos.

- como se isto fosse possível! Tirando os Indios de cena, nenhum deles existiria se não fossemos nós!

- abrimos as portas ao Novo Mundo e eles entraram ali todos pelas nossas mãos e iam de todo o lado, da Europa, então nem se fala, as raizes estão todas lá!

De que se queixa então a dita senhora?!

Nós portugueses não criamos coisa nenhuma e sim transportamos de um para outro lado do Atlântico RAÍZES!

- é o meu ponto de vista!
Desculpem-me brasileiros e seja quem for que eventualmente se possa sentir ofendido. Não é minha intenção. Não gosto que se refiram a nós, daquele modo tão pequeno, tão insignificante.

Somos muito mais como Povo e valemos muito mais como raça!

(loureira)

Zeca Paleca disse...

Nós, os portugueses, machos latinos, nunca deixamos os nossos créditos por mãos alheias. Somos um povo bem dotado e espalhámos a semente da vida por todo o Brasil. Até dizem que já não há mulatinhas como outrora e que vão ser importados uns portugueses para "treinar" com umas negrinhas, para que a raça não acabe. Tudo bate certo e é bom relembrar que quando o Pedro Álvares Cabral chegou a Porto Seguro, logo alguns portugueses desapareceram pela floresta e não mais voltaram aos barcos que íam para a Índia.
Gostaram logo daquilo. Descobriram o paraíso.
É assim! Português é fogo!!!!!

loureira disse...

Umas garrafitas de água do luso... e já não tinhamos senhoras a dizer esta coisa: "O Portugal que nos pariu" - pronto não gostei!

Nem sei se aquilo era um elogio, ou não... por isso sugiro água a todos. MUITA!!!!!!!!!!!

A Água é um bem essencial para apagar os fogos todos na floresta e como estamos no verão é de utilidade pública começar a utiliza-la convenientemente e sempre que ela é necessária!


Se nas terras lusenses existem fogos à fartura, água não nos falta para os apagar também à fartura... senão ainda acontece como nas Terras de Além... é cá uma misturada que ninguém se entende...

E, depois... aparecem senhoras a dizer destas coisas!

(acho que me vão expulsar!)

Zeca Paleca disse...

Ó menina loureira, este fogo não se deve apagar com água, mas sim com paixão, está bem? Ai a menina!

eheheheheheheh

loureira disse...

essa agora

cada um apaga o fogo como sabe

e para apagar o fogo

só conheço a água

e do LUSO!


- experimente o senhor apagar o fogo da floresta com a tal da paixão e vai ver a floresta a arder!

hummmmmmmmmmmmmmmm

Zeca Paleca disse...

Arde, arde e de que maneira...!

Loureirinha, por favor, não me chame de senhor.


eheheheh

Zeca Paleca disse...

ANGELA DUTRA DE MENEZES



"Sou carioca – e de Ipanema, modéstia à parte. Quem conhece a cidade do Rio de Janeiro, entende o meu orgulho

De tanto gostar de ler, aprendi a escrever com jeitinho especial. Claro, não tinha escolha, acabei no jornalismo. Fiz minha carreira no Segundo Caderno do jornal O Globo e encerrei expediente na revista VEJA.

Não neguei minha geração: casei e descasei. Tive filhos, pimpolhos já crescidinhos mas que são minhas paixões.

Viajei por este mundo - continuo viajando. Depois de formada em Comunicação Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, estudei na Universidade da República do Panamá – meu portunhol é porreta - e na Universidade da Georgia, Estados Unidos. Alimento a esperança de estudar ainda mais. Meu maior medo na vida é, um dia, “emburrecer”.

Escrevi cinco livros: Mil anos menos cinqüenta, Santa Sofia, O avesso do retrato, O português que nos pariu - uma viagem ao mundo de nossos antepassados e Livro do apocalipse segundo uma testemunha. O primeiro foi traduzido para o espanhol e envaideceu-se em críticas, todas maravilhosas. O segundo e o terceiro rasparam no Prêmio Jabuti. O quarto foi considerado um dos dez melhores livros brasileiros de 2 000 e o quinto, bem, o quinto é melhor ler depressa antes que o mundo acabe.

Sou feliz, faço o que gosto. Tenho amigos, curto meus filhos, dou risada em muitos papos, ouço música, leio, escrevo e adoro viajar.

Alguém pode querer mais?"


Foi esta a mulher que provou um portuga? Pelos vistou adorou.


eheheheheheh

loureira disse...

1º tá bem

mas não sei muito bem como o tratar

depois vejo!

Zeca Paleca disse...

è isso aí. Trata-me bem, trata-me muito bem.
Trata-me por tu.

eheheheheheheheh

E é se queres umas garrafitas de ÁGUA DE LUSO à borla na Fonte de S. João.


eheheheheh

E da terceira bica...


eheheheheheh

loureira disse...

2º obrigada pela lição, não sabia nada de nadinha sobre a senhora, assim fiquei a perceber qualquer coisita.

mas, que não gosto do titulo do livro, não gosto!


- sobre a senhora:

é... há gente feliz neste mundo

será que foi porque conheceu um português?!

se calhar foi.


obrigada

loureira disse...

não percebi nadinha

ñem tou com sede nem nada


(Não consigo tratá-lo por tu. Desculpe)

Mas trate-me por tu, não tem problema.

Prometo que o trato bem mesmo assim. É tão simpático que vou tratá-lo bem de certeza o contrário é que estamos para ver é que eu sou cá uma coisa muito chata... nem imagina quanto... se imaginasse acho que comprava uns ténis mais velozes!

Acredite! É só esperar pra ver.

(depois não diga que não o avisei!)

um beijinho (com respeito)
Vê como eu sou boa para si?!

- loureirinha, loureirinha, ai a menina!!!

Zeca Paleca disse...

Minha Querida Loureirinha:

A vida é sempre aquela dança
Aonde não se escolhe o par
Por isso às vezes ela cansa
E senta um pouco pra chorar.


Se tu me tratares mal, eu, como vem sendo habitual, não te farei o mesmo. Eu sou daqueles que "quanto mais me bates, mais eu gosto de ti".
Já levei tanta porradinha!!!!!

Vá lá, trata-me por tu e não sejas má para mim.

loureira disse...

De facto és divertido (só desta vez!) nem sei o que me parece tratar assim o Zeca Paleca

Mas ele é convincente!


Uma canção pimba:

"Não sejas má/mau pra mim
......"
não sei o resto

- Mas como eu não sou boa como o zeca paleca, se me fizerem mal eu também faço! - À pois é!

Agora... bateram no menino, foi?! (só hoje) deu-me liberdade... eu avisei...

Bateram foi?! Só se perderam aquelas que cairam no chão. A minha avó é que dizia isto. Mas ela nem sequer o conhecia! Será que adivinhava o futuro?!

Bem vou dormir

Quero agradecer a companhia
Estou a tentar saber brincar
Porque não tenho jeitinho pra coisa nenhuma

E, este, é um desafio muito muito do grande! Tão grande que ainda me perco

E eu não me quero perder!

Agora a sério!

Obrigada e Boa Noite

(Tenho que me treinar melhor a ser boa, não quero que o Zeca Paleca desista de mim, como toda a gente faz. Dá-lhes uns ventos...)

Eu porto-me bem. Prometo!

Zeca Paleca disse...

E eu vou desistir alguma vez de ti, loureirinha? Nem penses... Se tu te perderes eu encontro-te, podes crer. Já o Epicuro dizia que não é tanto a ajuda dos nossos amigos que nos ajuda, mas a confiança que temos de que eles nos ajudarão. Não fiques só, aqui ninguém te abandona. Se escolheste a amizade aceita o amigo (Zeca Paleca) como é. O amigo é a resposta aos teus desejos. Mas não o procures para matar o tempo! Procura-o sempre para as horas vivas. Porque ele deve preencher a tua necessidade, mas não o teu vazio. Aqui não sopram esses ventos que fazem desistir aqueles de quem tu gostas. Fica descansada e... sorri.


eheheheheheheh

Quando acordares, não esqueças, acorda-me também. Liga para o meu telemóvel e tira-me da cama.

eheheheheheheh

loureira disse...

Bom Dia! Bom Dia! Bom Dia! Gentes do Luso!

Acordei já à um tempão e vim logo a correr para aqui. Gostei disto.

Ontem o senhor Acácio aturou-me. Depois o Zeca Paleca. E, hoje... será que o Luso tem mais gente, acordada?! Ou ainda está tudo a dormir?!

Zeca Paleca, tá na hora de ir trabalhar! Deve trabalhar, não?! É que sem trabalhinho, não há carapauzinho, para o menino! E, assim, nunca mais fica forte. Tem que comer muito! Muito mesmo! Pra ficar forte! Muito forte! É que isto de andar a correr pelo Luso.... fica sempre um palito!...

E as tais das sapatilhas ou ténis ou lá o que é, ainda não estão gastas?! Estive a pensar: Porque não oferecer-mos umas botininhas novas ao Zeca Palequinha?! Eu acho que deve estar a precisar.

Depois, gostaria, que estivesse no Luso a tempo e horas, de nos fazer felizes, a todos!

É verdade. Acredita que hoje sonhei! Ai foi tão bonito! Tão bonito, que até o vou escrever (para mim)

Eu penso que foi de estar um dia inteiro no Luso com o Zeca Paleca e o Senhor Acácio.

Para ter mais sonhos destes, venho aqui todos os dias!

Por isso eu queria oferecer umas sapatilhas, ao menino. (este menino, não é prejurativo. É simpático da minha parte!) Eu ao senhor Acácio não posso tratá-lo por menino porque o senhor já não tem dentes. Disse-mo ele, ontem! Seria uma falta de respeito. E, ele até que é simpático e delicado. Agora o Zeca Paleca, tem dentes, não tem?! Ou é como o senhor Acácio!

Sei lá?! A água do Luso faz milagres! até devolve vida aos mortos?!

- Eu aceito toda a gente. Desde que sejam bons. Se o Zeca Paleca e companhia, não fossem bons, eu nem aqui estaria.

- No mundo... toda a gente anda a matar o tempo! Só que não sabe! Porque o Tempo mata-os a eles primeiro! Muito antes de eles darem conta disso.

Mas eu conheço o Tempo e não o mato nem deixo que Ele me mate. Envolvo-me nele. Nele mesmo e....


Eu aceito o Zeca Paleca como ele é. Mas ainda não o conheço bem. Se for sempre assim bonzinho... sim!

Eu não tenho vazio dentro de mim para preencher e necessidades só a de ser e estar.

E, aqui e agora, têm me proporcionado o que mais gosto. Exactamente isso.


Por isso: Eu AMO O LUSO!


(o zeca Paleca é o querido)

Toca a trabalhar minha gente!

Beijões a todos os lusenses!

Laura disse...

Ehhhh essa Brasileira já sabe que assim esgota os livros em Portugal, e já tinha ouvido dizer montes de vezes que os Portugueses é que começaram a amestiçar Angola Moçambique S. Tomé e Principe, e por ai fora e o Brasil é a infima parte!....

Mas até gostava de saber porque as nossas ninas agora só querem caras brasileiros! explica lá zeca e olá loureira, foste de corrida sem ser corrida, via-se logo que não aguentavas uma, e assim...nem valia a pena! Andamos aqui a ver se nos divertimos e sme picadelas nãos e faz história. se desistes logo...
beijinhos ó zeca e olha a água do luso... a senhora precisa é de lavar a cabeça e o resto com a vossa água...a do livro claro ehhh..

Axiológico disse...

Não vão falar mal do meu Brasil... hehehehhee...

abraços e boa semana

Laura disse...

Quem tá falando mal dos eu BRÀSIU moço? tamos falando de todo mundo...ehhh ria-se que a vida é pa levar sorrindo. boa semana pa vc também...

Flôr disse...

Foi com um portugu�s que eu j� dei o meu contributo ao Pa�s.. com dois rapazes lindos!!! lol lol


Gostei deste post, bastante original sim senhor...


Flor