domingo, janeiro 20, 2008


FEROSA

Minha top model
Tem a buceta de rum com cereja.
E o néctar que escorre pelas suas coxas
É o puro cio de uma tigresa acesa.
Minha gata quando ama, enrosca
Enreda, enrama
E explode em gritos e gemidos
Que os vizinhos ficam mudos,
As crianças penstativas.
E até os loucos resguardam
Como se ouvissem uma revelação.
Depois ela se veste,
Põe os brincos, se penteia
E sai pela cidade impávida
Indescritível...
E ciente do poder que tem
De transformar
O último dos mortais num deus.

5 comentários:

Å®t Øf £övë disse...

Naeno,
Palavras intensas cheias de sexualidade.
Abraço.

A Lei da Rolha disse...

Ora aí está ... sensualidade!
abraço

♥≈Nღdir≈♥ disse...

O tempo tomou conta da minha vontade… corre veloz ao sabor do vento…
Contudo… mesmo num desejo rápido, estou aqui… nem que seja apenas para desejar um bom fim de semana.
E parto… de novo sem promessas, porque não sei quando me será permitido voltar, fica então a vontade de regressar, um dia destes quando o tempo permitir…
Que fique o meu beijo e que dure pelo momento de ausência no espaço de um até breve.
Nadir

Farinho disse...

estou de volta e deparo-me com uma foto lindissima gostava de ter essa liberdade e apreciar os pequenos prazeres da vida
beijocas

João JR disse...

Que saudades de estar mais entre todos vcs amigos da blogosfera..
Mas nunca vos esqueço:)
Belo poema querido Naeno.
Um beijo a todos!