segunda-feira, junho 18, 2007

Rivalidades



No Brasil, é muito comum haver rivalidades regionais, entre cidades, entre times de futebol... No Rio Grande do Sul, a rivalidade com o Internacional é tão grande que o estádio do Grêmio não dispõe de equipamentos vermelhos, até os extintores de incêndio são azuis। No Rio Grande do Norte, diz-se que houve uma época que, no fim do ano, em Mossoró, os cartões de felicitações diziam "Feliz Mossoró e Próspero Ano Novo"; conta-se ainda que, durante a Segunda Grande Guerra, como Natal se tornou importante base naval, foi noticiado que Hitler bombardearia a cidade, o prefeito de Mossoró teria reagido à notícia dizendo que "se é para Hitler bombardear, que bombardeie Mossoró"No Ceará, é grande a rivalidade entre Crato e Juazeiro do Norte। No interior do Brasil, um dos índices de desenvolvimento sócio-cultural, não levado em conta pelo IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é o tempo entre o lançamento de um filme e a exibição na cidade। São consideradas mais adiantadas as cidades que exibem os filmes antes। Por isto, os cratenses dizem que os filmes são exibidos no Crato e, meses depois, são exibidos em Juazeiro do Norte, mas os juazeirenses, para não deixarem isto claro, alteram os nomes dos filmes। A seguir, uma lista de filmes com os nomes adotados no Crato e em Juazeiro do Norte, segundo os cratenses.
- O vento não sabe ler - Redemunho analfabeto!
- Cinqüenta dias em Pequim - Quase dois meses fora de casa!
- O homem de Alcatraz - Cachaceiro com garrafa no fundo!
- Uma linda mulher - Uma quenga aprumada!
- O Poderoso Chefão - O Coroné Arretado!
- O Exorcista - Arreda, Capeta!
- Os Sete Samurais - Os Jagunço di zóio rasgado!
- Bom de briga - Mais brabo que pata choca!
- Godzila - Calangão!
- Perfume de Mulher - Cherim de Cebola!
- Tora, Tora, Tora! - Oxente, Oxente, Oxente!
- Mamãe faz cem anos - Mainha num morre mais!!
- Guerra nas Estrelas - Arranca-Rabo no Céu!
- Um peixe chamado Wanda - Um lambari cum nome di muié!
- A Noviça Rebelde - A Beata Increnquêra!
- O Corcunda de Notre Dame - O Monstrim da Igreja!
- Grandi O Fim dos dias - Nóis tâmo é lascado!
- Os Filhos do Silêncio - Os Minino du Mudim!
- Dançando no escuro - Forró de candeeiro sem gás!
- A Pantera Cor-de-Rosa - A Onça Viada!
- Investigações sobre um cidadão acima de qualquer suspeita - Arreégua, Ninguém disconfia do presidente?
Algumas rivalidades são folclóricas. Atualmente vemos outro tipo de rivalidade, a briga entre diversas quadrilhas formadas por asseclas do presidente e é por causa destas disputas que muitos escândalos vêm a público, na briga por espaços e lucros, grupos denunciam seus rivais. O presidente, cheio de Fogo Paulista, chama estas denúncias de fogo-amigo. O Ministro da Justiça, quem-te-viu-quem-te-vê, está preocupado com o fato de a Polícia Federal fazer escutas telefônicas com autorização judicial e criará leis que regulamentem e dificultem as escutas. Além disto, o presidente está preocupado com o fato de criminosos de colarinho-branco serem algemados. Como se não bastasse, tramita no Congresso uma lei que tornará impune para o resto de suas vidas todos aqueles que ocuparem cargos públicos eletivos. Eu sou contra a publicidade que se dá a certos procedimentos investigativos, enquanto as pessoas não forem condenadas, não deveriam ter seus nomes divulgados, muito menos apresentadas imagens na TV e nos jornais, pois o dano é irreparável, quando se trata de um inocente acusado injustamente. No Brasil há leis que garantem foro privilegiado a ocupantes de cargos eletivos, para que não sejam punidos por crimes de opinião. São leis justas e democráticas que asseguram, por exemplo, que o governo não puna um parlamentar de oposição pelo simples fato de ele tecer críticas às políticas governamentais. A retórica dos governos (incluídos os governos militares, FCH e Lula) sempre foi a de que quem se opõe a eles é contra o Brasil. Uma coisa completamente distinta é estender a crimes comuns os direitos assegurados para os chamados crimes de opinião; mais ainda: estender para toda vida?! Esta proposta de impunidade vitalícia me lembra uma piada da época da Ditadura Militar. O ministro da Justiça saiu do despacho com o presidente e encontrou o ministro da Educação na sala de espera. O ministro da Educação perguntou: — como está o humor do presidente? Respondeu o ministro da Justiça: — excelente! Veja os projetos que ele aprovou e para os quais já liberou recursos. Mostrou como seriam as novas prisões, todas dotadas de bibliotecas como ares-condicionados em todas as dependências, cozinhas e restaurantes dignos de hotéis de seis estrelas e coisas semelhantes. O ministro da Educação, animado, durante a audiência com o presidente, apresentou alguns projetos de melhoria das universidades. O presidente reprovou por falta de verbas. O ministro da Educação apresentou outros projetos menos custosos e todos foram reprovados. Sem conseguir aprovar projeto algum, o ministro da Educação não se conteve: — presidente, o senhor liberou rios de dinheiro para penitenciárias e não libera recurso algum para as universidades? O presidente respondeu: — você acha que se nosso governo cair, iremos para a universidade ou para a cadeia?

3 comentários:

Elisa Albuquerque disse...

cabra da peste arretado :P
que saudades que tenho do meu nordeste!!! vije maria!!!!!!! :P beijossss

Axiológico disse...

É isso aí mesmo....

falou tudo...

Enquanto os filhos da pu... desses políticos brigam pra ver quem vai roubar mais....... o povo paga R$ 2,70 no litro da gasolina, que cada vez mais contém álcool misturado (também pra agradar os Usineiros malditos)...

O Brasil deveria ter continuado colônia de exploração de Portugal... Tenho certeza que os Portugueses teriam levado menos riquezas pra fora do país do que estes políticos e outros criminosos que depois de roubar muito vão morar em Miami beach...

abraço

Manoel Carlos disse...

Seria interessante reproduzir, mas não custa dar o crédito:
http://www.agrestino.blogger.com.br/2007_06_01_archive.html#39674268