quarta-feira, julho 25, 2007

ANJOS INSISTEM

Eu sou triste como um camelo no alpendre
Do mesmo tanto sou triste como um homem que se retrata.
Passo meus dias pensando em afagos de mulheres
Mas só escuto meu coração só, sincopando o seu bater.

Cai uma chuva de estrelas e o chão fica tão lindo
Quantas meninas acordam e se vestem as metades
Pra verem, do chão, alçarem vôos de volta
Os anjos que trouxeram minha alma sem mim.
Eu acumulo fortuna para os outros,
Se fossem meus esses contos, saía-me outro deus.
Pois o que roda minha cabeça, pelos caminhos do mundo
Mas de quem eu pego conto e guardo,
Caem nos bolsos de outros, de vários donos.
E o que fazem esses capatazes de rebanhos soltos,
Do pretexto mole da frutaazedoce, comer, roer,
E eu me desbordei na quinta e me inclinei na sexta.

Até se o meu patrão tivesse meus argumentos,
Seu alforje já não existia mais
E eu, prontamente disposto noutras canchas.

2 comentários:

O Sentir dos sentidos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Naeno disse...

Eu não estou entendendo nada. Todos os meus post tem comentários excluídos e eu não exclui nenhum. O que está havendo. Eu queria uma explicação por parte dos coordenadores do Blog.

Um abraço
Naeno