quarta-feira, julho 25, 2007

A Bossa Nova
> Começando a falar de música brasileira, nada melhor do que voltar as atenções para um movimento liderado por jovens estudantes internacionalistas, compositores, instrumentistas e cantores intelectualizados. Além de amantes do jazz americano e da música erudita, que conseguiram unir a alegria do ritmo brasileiro às sofisticadas harmonias do jazz americano.
É difícil precisar em que ano a Bossa Nova surgiu, mas, pode-se afirmar que após o lançamento do primeiro LP de João Gilberto, em 1959, chamado Chega de Saudade, o gênero se transformou em mania nacional e logo conquistou o mundo.
A princípio, a Bossa Nova era tida como movimento elitista, pois via com certo desdém todas as demais manifestações musicais brasileiras. Mas esse rótulo logo veio a baixo, principalmente com João Gilberto - a partir do trabalho dos pioneiros da bossa nova: Garoto e Johnny Alf e da influência de Chet Baker -trazendo abertura do gênero à grande produção das outras escolas. Contando com as canções de Dorival Caymmi e Ary Barroso, além de outros grandes compositores do passado, sendo interpretados sob uma nova forma.
De acordo com Luís Nassif, a Bossa Nova deve ser analizada sob três ângulos: forma de tocar, maketing e gênero musical.
Como forma de tocar, foi um sucesso amplo que se deve basicamente a João Gilberto, desenvolvendo uma técnica de tocar na qual acabaram cabendo quase todos os gêneros musicais do país.
Como Marketing, o sucesso foi ainda maior, principalmente depois que Tom Jobim e Carlos Lyra desembarcaram nos Estados Unidos com ternos modernos, violão a tiracolo e bonitos como galãs de Hollywood.
Já como gênero musical, por insuficiência de produção e de talentos - tirando o trio maior (Tom Jobim, Carlos Lyra e Roberto Menescal), durou poucos anos. Em meados dos anos sessenta, o movimento já havia se esgotado.

A Bossa Nova foi e sempre será um marco na história da música brasileira, mas, deve-se perceber que sua maior contribuição não foi pela quantidade de composições, pois mesmo Tom Jobim não tinha toda sua produção tipicamente bossa novística, tendo muitos elementos de samba-choro em suas composições. Mas foi sim, um movimento que renovou as harmonias e arranjos, dando à música popular brasileira um cunho nacionalista, além de influenciar quase todos os grandes compositores da música popular brasileira contemporânea.

6 comentários:

Flôr disse...

Eu gosto de quase toda a música brasileira... principalmente daquela que tem ritmo.....

Beijo de mim... a Flor :)))

Leticia Gabian disse...

Querido Naeno,
A Bossa Nova, ao contrário do que muitos pensam, não parou nos anos 60. Continua viva e influenciando muita gente no modo de compor, de tocar e de cantar. Se não sabe, há uma preferência muito grande pela Bossa no Japão, na Europa e em muitos lugares até inimagináveis. Portanto, João, Tom e muitos outros (sim, porque eram muitos, ainda que não tão visíveis) fizeram escola e não são (simplesmente)história, são super atuais.

Naeno disse...

Querida Letícia, saudades tuas. A bossa nova traduz a vontade de um isolamento de um grupo, ditos da elite, não só musical, mas social, que teve o seu apogeu nos anos sessenta, aí ela nasceu, consolidou-se mas não foi à frente, com o sufocamento do retorno das músicas ditas bregas, entre elas o yê, yê, yê, a jovem guarda.
À frente o que se viu foi aquele mesmo grupo, desfalcado de alguns, como Chico Buarque, que já mostrava tendencioso a um trabalho próprio, mordaz, denunciante, até pelo fato de já se haver isntalado em nosso território a maldita Ditadura. E assim perdura a Bossa Nova, mas com as mesma músicas, não foram acrescidas outras músicas aoa parco repertório, e divulgada no mundo através, principalemtne de João Gilberto, que ainda hoje, começa os seus shows cantanto o Pato, depois, canta Querem acabar com o Samba, e mais umas cinco e se despede, imitando literalmente uma estrela quando uma a nuvem lhe enconbre. Carlos Lyra parou, Paulo e Marcos Vale pararam, Elizeth largou, preferiu cantar a Noite do Meu bem, resiste também Jony Alff, e só alguns aprendizes, que não se arriscam. A origem da Bossa você conhece. O Japão descobriu a bossa nova e a considera a música mais bem elaborada do mundo, são fãs mesmo, incondicionais, mas a Bossa nova continua sendo um ajuntamento de músicas, que ninguém mais acresceu.
Um beijo
Naeno

O Sentir dos sentidos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leticia Gabian disse...

Querido Naeno,
Acho que precisa escutar mais músicas por aí.... Então, até mesmo o Sting não compôs Bossa Nova?! Perdoe, mas chega a beirar uma certa ignorância quem diz que a Bossa Nova parou, "não foi adiante". Se lhe interessar, faça uma pesquisa e veja quanta gente (daqui e de fora) foi/é influenciada pela Bossa, como eu disse antes, compondo, cantando e tocando. Insisto no tema, pois o que você coloca aqui, sob a batuta de Luis Nassif, não corresponde à realidade. E não falo isso por bairrismo ou saudosismo....Falo com conhecimento de causa....Falo , pois é real.

Naeno disse...

Querida letícia, eu não levo mesmo muita sorte com blogs. Com você já faz uma porção de pessoas que ao lerem o que exponho, comentam exatamente sobre o que eu sequer cogitei pensar. Eu não disse que a bossa nova acabou. Até porque bossa-nova é um nome dado a um estilo musical encabeçado por quem eu já falei. Depois das algumas músicas elaboradas por Vinícius, Tom Jobim, Carlos Lyra, Jonni Allf, Marcos e Paulo Sérgio Vale (irmãos), Roberto Menescal, um dos mais importantes, o movimento deu-se por encerrado, no entanto essas músicas composta à essa época continuam pelo mundo inteiro e com bastante aceitação.
Eu quis lhe falar é que os próprios bossanovistas tenderam por outros caminhos. Senão veja: Tom compôs Luiza, Águas de março e tantas outras canções, boleros, Chico Buarque sequer compos, Carlinhs Lira, Roberto Menescal, Jonny Allf, continuam a cantar o que fizeram nos anos sessenta.
Isto é verdade absoluta. Eu acompanho com luneta os bossanovistas até porque sou músico e com eles se aprende muito, com Roberto Menescal e Carlos Lyra, principalmente, por serem exímios instrumentista. Não nego que no Japão a bossa nova deixa neguinho de queixo caído, não nego, não nego que Sting fez uma tentativa de fazer uma bossa nova, triste e melancólica, que foi apresentada em seu show aqui no Brasil, acompanhada por sua guitarra e uma percussão de boca de pote.
Então entenda eu não disse e nunca direi que a bossa nova morreu. Morreu o movimento.
Por favor, sou seu amigo, lhe amo muito, mas vamos parar com esta litania, a queremos provar quem sabe menos ou quem sabe mais.
Nós dois sabemos, pronto.
Eu lhe ouvi cantar e adorei.

Um beijo
Naeno